Na unidade, esse “Eu” que tu julgas ser desaparece,

dissolve-se,

tu não existes mais.

Na terra caminhas como cálice do divino,

como portador do fogo do céu e

incendeias tudo ao teu redor.

Tu és fogo vivo,

criador de mundos,

Na tua presença toda a ilusão se desconstrói,

Tu nada queres,

nada esperas,

permaneces absoluto,

incriado,

eterno.