Deixa impregnar-te de Silêncio,

Permite ao Divino viver-te,

Tu és o cálice do novo ciclo.

Trás à superfície a vida do Cosmos,

E no amor,

Dissolve-te na eternidade.